10 de nov de 2009


Baixe aqui

The Bar-kays - Soul Finger
The Bar-Kays começou em Memphis, Tennessee, como um grupo de músicos de estúdio, atuando com grandes artistas da Stax Records. Eles foram escolhidos em 1967 por Otis Redding para tocar como sua banda de apoio. Em 10 de dezembro de 1967, Redding e Jimmy membros da banda King, Ronnie Caldwell, Phalon Jones e Carl Cunningham morreram em um acidente de avião em Lago Monona a caminho de Madison, Wisconsin. O Trompetista Ben Cauley sobreviveu ao acidente e o baixista James Alexander estava em outro avião, uma vez que havia oito membros no grupo de Redding e o avião fretado só poderia levar sete. Cauley e Alexander reconstruiu o grupo.
A nova banda de Cauley e Alexander tinha Harvey Henderson, saxofone; Michael Toles, guitarra; Ronnie Gorden, órgão; Willie Hall, bateria e mais tarde Larry Dodson, vocais. O grupo de apoio de dezenas de grandes artistas da Stax em gravações mais tarde, inclusive de Isaac Hayes Hot Buttered Soul, mas mudou a direção musical na década de 1970 para ter uma carreira bem sucedida de música funk na Mercury Records. A banda teve um hiato no final de 1980, mas reagrupados em 1991, com Alexander como o único membro da formação original.

29 de out de 2009


Baixe aqui

Mixtape do Dj Justino Passos

Conhecido na cena Pernambucana pela cultura musical, defende a discotecagem eclética e informativa. Seu trabalho é uma mistura da música negra mundial, em diferentes estilos e tempos. funk autêntico, soul, R&B e hip hop compõem seu fino repertório. Sua formação musical é baseada no funk dos anos 70, estilo que adotou e possui um repertório variado, que vai do funk ao hip hop sempre na procura da batida perfeita. Tocou em importantes casas noturnas e festas de Recife, Rio, São Paulo e Pipa (RN), além de dividir line up com djs da cena local e nacional. Por entender que o trabalho de dj não é somente “tocar músicas”, Justino Passos está sempre pesquisando e tentando aprimorar sua mixagem, pois acredita que atualmente o público frequentador de festas não é o mesmo de anos atrás, onde o que menos importava era o dj. Atualmente divide seu tempo entre a produção de áudio e a noite Magia Negra.

www.myspace.com/justinopassosdj

28 de out de 2009


Baixe aqui


Mixtape do Dj Renato da Mata

Gravado na Rádio AESO

Dj Renato da Mata criou interesse pela música por influência do seu pai que é músico e tinha uma grande discoteca em sua casa, onde seus amigos sempre levavam discos das decádas de 70 e 80 para audição das produções, criando um gosto musical que o levou a um repertório centrado na black music e hip hop, iniciou sua carreira em 2000, participando de eventos no litoral do nordeste brasileiro, conhecidos pela freqüência turística de jovens de todo o Brasil e também estrangeiros. Na Praia de Pipa (RN) passou a fazer residência de longa temporada na boate Calangos, e logo conquistou um lugar de destaque na cena de hip hop / black music em todo o estado. Sua intimidade com as pick-ups, sua técnica de mixagem, scratchs e a especial habilidade de manejar seu equipamento, se destacaram nos eventos de Recife e nas capitais do pais. Damata se identifica com o que faz e passa esse sentimento para o público numa empatia contagiante. É uma mensagem natural, espontânea porque ele realmente gosta do que faz e curte com o público. A sua gente que curte a música em todas as suas formas.

www.myspace.com/djrenatodamata
01 Jimmy Jackson - What is
02 Muscle Shoals Horns - Hustle to the music
03 Prophecy - Betcha Can't Guess My Sign
04 Dillard Crume and The Soul Rockers - Mother popcorn
05 Os Incriveis - Knock on Wood
06 Miami - Same ol beat
07 Hot Stuff Band - Ju ju man
08 Johnny Robinson - Funky feet
09 L.T.D. - (Every time i turn around) Back in love again
10 Celebrity Four - Honey tell me
11 Laura Lee - Crumbs off the table
12 The Pointer Sisters - Yes we can can
13 kool and the gang--1-2-3-4-5-6-7-8
14 Willie And The Mighty Magnificents - The Funky 8 Corners pt2


Baixe Aqui


Garimpagem vol. 1

Este disco foi compilado em 2006. Partiu da idéia de reunir pedradas encontradas em discos comprados em sebos, nele você encontrará Os Incríveis tocando funk, uma música do Kool and the Gang chamada 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, também tem a banda Hot Stuff Band formada por brasileiros como Wilson das Neves, Márcio Montarroyos, Mamão e Victor Assis Brasil. Bem, curta muito essa disco.

01 Cramp your style - All The People (Equipe Black Power - 1976)
02 Waiting at the bus stop - The Kay-gees (Equipe Black Power - 1976)
03 What ever's your sing (pt 1) - Prophecy (Equipe Black Power - 1977)
04 Get up - Brass Construction (Equipe Black Power - 1979)
05 Boogie woogie - Sound Experience (Equipe Dynamic Soul - 1976)
06 Tubular bells - Champs Boys (Equipe Furacão 2000 - 1977)
07 Super soul sisters - Heatwave (Equipe Furacão 2000 - 1977)
08 Night people - Lee Dorsey (Equipe Furacão 2000 - 1978)
09 There was a time - Gene Chandler (Equipe Soul Grand Prix - 1976)
10 Respect - Aretha Franklin (Equipe Soul Grand Prix - 1977)
11 It's all right now - Eddie Harris (Equipe Soul Grand Prix - 1977)
12 Hook and sling - Eddie Bo (Equipe Soul Grand Prix - 1978)
13 Super good pt 1 & 2 - Myra Barnes (Vicki Anderson) (Equipe Soul Grand Prix - 1978)


Baixe aqui

O som das equipes
O mundo alucinante do verdadeiro funk

O funk, caracterizado por um segmento musical provindo de uma sonorização imediata da raiz africana, surgiu nos EUA no final dos anos 60, empregando ritmos mais marcados, pesados e com arranjos mais agressivos, seria o irmão mais radical da soul music.

No início dos anos 70, em plena ditadura militar, foram realizados, no Canecão, os primeiros encontros que ficariam conhecidos como bailes funk. Nesses bailes, organizados por Big Boy e Ademir Lemos, reuniam-se todos os domingos cerca de cinco mil pessoas, que esperavam ansiosas para ouvir os principais sucessos cantados por James Brown e Kool and the Gang. Em virtude de algumas restrições impostas pelos diretores da casa, que supostamente passaram a privilegiar artistas da MPB, os bailes foram transferidos para alguns clubes do subúrbio, mesmo gozando de muito sucesso.

Por volta de 1975 é fundada, por Dom Filó, a primeira equipe de som, a Soul Grand Prix, e surgida desta efervescência cultural, desencadeou uma nova fase no funk, apelidada pela imprensa de “Black Rio”. Nas festas promovidas pela Soul Grand Prix - onde se reuniam até quinze mil pessoas num baile comum - havia uma intensa campanha de conscientização feita por meio de slides de personalidades negras e a sinalização positiva da chamada 'Black is Beautiful' (Negro é Lindo). Logo depois foi fundada por Rômulo Costa a mais famosa de todas, a Furacão 2000. Os primeiros bailes eram feitos com vitrolas hi-fi e as equipes foram, aos poucos, crescendo e comprando equipamentos melhores.

A segunda metade da década de 70 também foi marcada pela inserção da indústria fonográfica no universo funk. A Soul Grand Prix foi a pioneira no lançamento de discos de equipe de som, sendo logo seguida por Dynamc Soul, Black Power e Furacão 2000. Porém todo aquele sucesso conquistado com a chegada do funk, não se manteve na mesma direção nos primeiros anos da década de 80. O funk no Rio foi influenciado por um novo ritmo da Flórida, o Miami Bass, que trazia músicas mais erotizadas e batidas mais rápidas. Para os especialistas, o funk carioca não pode ser chamado de funk: é apenas uma derivação do Miami Bass.

Hoje, o “funk” carioca não tem nada a ver com o outro. O Black Rio surgiu das manifestações de auto-estima de uma comunidade, onde seus adeptos, hoje mais velhos, moldaram uma geração consciente. O “funk” carioca, embora tenha surgido de dentro das comunidades, não teve lideranças capazes de elevar a consciência. Sem liderança, ficou fácil a exploração comercial e o cultivo da violência e sexualidade, em especial da mulher. Esqueceram a cabeça e se fixaram no corpo e nas mensagens sem nenhum conteúdo.

O Hip Hop é o filho do 'Movimento Black Rio'. Souberam utilizar o legado da informação, da auto-estima e da formulação do conhecimento, mais fácil hoje de se conseguir com o advento da tecnologia. O Movimento Hip Hop tem consistência suficiente para suprir o que o Movimento Soul iniciou há 30 anos.